Categorias

Resenhas

O conto da aia - Resenha

29/05/2018 - Taíla Quadros
#Editora Rocco #livro #opinião #resenha #série

Depois de muito esperar, eu finalmente consegui ler O conto da aia ou The handmaid’s tale, em inglês. O livro que inspirou a série de mesmo nome, transmitida pelo canal de streaming Hulu, veio com tudo e arrebatou o meu coração em 2017. A série foi muito aclamada e com a segunda temporada já bombando, eu PRE-CI-SA-VA ler esse livro.

 

Vamos falar melhor sobre a série em breve e por enquanto vamos nos ater ao livro.

 

SINOPSE: Escrito em 1985, o romance distópico O conto da aia, da canadense Margaret Atwood, tornou-se um dos livros mais comentados em todo o mundo nos últimos meses, voltando a ocupar posição de destaque nas listas do mais vendidos em diversos países. Além de ter inspirado a série homônima (The Handmaid’s Tale, no original) produzida pelo canal de streaming Hulu, a ficção futurista de Atwood, ambientada num Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão, tornando-se propriedade do governo, e o fundamentalismo se fortalece como força política, ganhou status de oráculo dos EUA da era Trump. Em meio a todo este burburinho, O conto da aia volta às prateleiras com nova capa, assinada pelo artista Laurindo Feliciano.


A obra foi escrita em 1985 e trata de uma distopia em um regime totalitário onde as mulheres, que viviam como nós vivemos hoje, perdem todos os seus direitos, desde ter o seu próprio dinheiro, a trabalhar, estudar, ler e escrever. As mulheres são divididas em diferentes funções na sociedade e devem se encaixar para continuar sobrevivendo. As aias são as barrigas de aluguel e devem “emprestar” seu ventre para tentar engravidar dos chefes do governo, as Marthas são responsáveis por cuidar da casa, as Esposas são as mulheres dos comandantes e tem também as não-mulheres, mulheres que não são férteis, idosas ou que se opuseram ao regime e são enviadas para colônias de trabalhos forçados. Isso te lembra algo?

 

O livro é contado a partir a visão da aia Offred (não podendo utilizar seu nome de batismo, as aias são nomeadas da seguinte forma: Of + o nome do comandante a quem servem), não sabemos o seu nome real com certeza, mas vamos acompanhando-a na narração da história de sua rotina como aia com lembranças de sua vida de antes e como tudo isso foi acontecendo. Ela relata tudo o que consegue saber sobre as outras aias e sobre tudo o que está acontecendo.

 

O livro tem uma carga de tensão muito forte, pois nada pode sair da linha, porém muitas coisas acontecem nesse universo e a protagonista deve tomar decisões constantemente do que fazer ou não para não ser descoberta e continuar a viver. Fiquei todo o tempo me colocando no lugar da Offred e pensando em como lidaria com todas as coisas que aconteciam a ela. São inúmeras dificuldades e uma vivência desesperadora onde não se sabe se o melhor é se conformar, lutar ou apenas manter a esperança para seguir em frente.

 

Um livro que trata de diversos assuntos que permanecem muito atuais e com a leitura altamente recomendada a todos.

 

 

O conto da aia - Margaret Atwood - 366 páginas - Editora Rocco

Quer ficar por dentro de todas as resenhas do Prateleira? Clica aqui e se cadastra. 

comentários
talvez você também goste
Publicidade
Facebook
Mais Lidos