Categorias

Crônicas

Sobre a importância da empatia

14/12/2017 - Taíla Quadros
#amizade #amor #crônica #respeito #texto da semana #texto de quinta #texto do dia #texto próprio
O poder da empatia

Para você que nunca respeita a dor do outro, que nunca entende porque o outro fica tão abalado com a sua risadinha ou brincadeirinha de mau gosto, aí vai o meu recado: pare! Para de ser babaca, pare de ser escroto, pare de pensar apenas no seu próprio umbigo e aprenda a olhar o mundo de um jeito diferente. O universo não é a pequena bolha em que você vive a sua vidinha boa e confortável.

 

Tem muito mais coisas lá fora para se conhecer e descobrir e nem todas elas são boas, confortáveis ou divertidas. Cada pessoa que vive fora da sua bolha, tem uma história, tem suas próprias vivências e passou por diferentes desafios. Você não sabe como essa pessoa deveria reagir às situações. Não é você quem define como é certo ou errado se comportar frente a esta ou aquela dificuldade. Você não sabe os reais medos e desejos daquela pessoa, por isso não tem como julgar se a reação dela é adequada ou não aos estímulos que recebeu.

 

Se você não entende o outro, comece a trabalhar a sua empatia. Abra um pouco mão das suas verdades absolutas e procure conhecer a vida das outras pessoas, busque referências sobre outras realidades. Ouça de verdade o que o outro tem a dizer, sem pré-conceitos. Abrace, leia a respeito, faça perguntas, esteja de olhos, ouvidos e coração abertos ao que o outro traz para você.

 

Aceite de uma vez por todas que cada pessoa é diferente. Deixe de lado o deboche, o cinismo e abra espaço na sua vida para o amor e a aceitação. Falar mal e reclamar do outro só mostram o quanto negativo e vazio você está por dentro. Ninguém que estar perto de alguém que só tem o mal para oferecer. A gente quer amor, bem-estar, acolhida e compreensão. Se você não tem isso a oferecer, aprenda, busque, aperfeiçoe-se e veja o quando isso vai te fazer bem.

 

E você que não se sente aceito, acolhido e amado, eu sei como você se sente. Aprenda a ser o seu melhor amigo, o seu grande amor. Aprenda a entender, por mais que seja difícil, a limitação dos outros, que nem todo mundo é sensível como você, amoroso como você ou compreensivo como você.

 

Lembre que para chegar no nível de empatia que você está hoje, você teve muitas coisas para aprender, muitas vivências para refletir. Aceite-se, continue aceitando o outro, por mais que ele pareça não merecer. Afinal, você não quer ser como eles, não é?

 

Quer acompanhar todos os textos do Prateleira? Clica aqui e te cadastra. 

comentários
talvez você também goste
Publicidade
Facebook
Mais Lidos